sábado, dezembro 29, 2007

Pacheco Pereira e António Barreto, dois grandes pensadores

Na edição de hoje do Expresso, José Pacheco Pereira e António Barreto, em jeito de balanço de 2007, apresentam o sua análise do país onde vivem e onde pensam que nada de essencial vai mudar em 2008, a não ser a multiplicação das operações de propaganda promovidas pelo Governo de José Sócrates.
António Barreto começou por dizer que "Sócrates vai continuar com a popularidade em alta até ao momento em que encontrar alguém à altura dele ou esbarrar com uma profunda crise social". Por suavez, Pacheco Pereira afirmou que "Sócrates pode conter o desgaste, caso decida mandar dinheira para cima do betão e das obras públicas".
António Barreto
"2008 vai ser um ano de muita propaganda"

"O PSD é um partido muito descaracterizado sem poder, e o PS é um partido muito descaracterizado com poder"

"As pessoas estão irritadas com a distância despótica e arrogante de José Sócrates, que não suporta quem pense diferente, ou muito simplesmente quem pense"

"Absorvido pelo Estado, fundido com outro banco, ou comprado por uma instituição estrangeira, estou convencido de que dentro de três, quatro ou cinco anos o BCP, tal como o conhecemos hoje, vai deixar de existir"

"A Comunicação Social tem vindo nos últimos anos a perder o que eu chamo o trinómio - brio, dignidade e independência"

"Claro que a Internet vai continuar a roubar leitores aos jornais. Estou convencido de que daqui a 10 anos metade ou 1/3 dos jornais actuais desapareceu"

"O Tratado constitucional europeu é inútil"

"José Sócrates desempenhou muito bem o papel de sargento"


Pacheco Pereira
"Sócrates não tem princípios"

""Factos que seriam notícia em qualquer parte do mundo, até porque o currículo oficial do primeiro-ministro é matéria de escrutínio em qualquer país civilizado, foram durante muito tempo silenciados em Portugal"

"O PSD é um partido muito volátil e até pode acontecer que Menezes seja apeado do poder"

"Isto de dar computadores em Ferreira do Alentejo é um deslumbramento mas não tem resultados"

"A maioria dos dirigentes nacionais do PSD e do PS é regionalista"

"Não tenho dúvida de que o protesto social teria sido muito maior se não houvesse um clima de medo"

"O caso do BCP é um escãndalo"

"A geração Sócrates - ela existe em quase todos os partidos -, vive num mundo em que a privacidade não é um valor, logo não se importa que o Estado adopte medidas lesivas das liberdades individuais"

"Seria surpreendente que num país com pouca independência, a comunicação social fosse diferente do resto do país"

"Em 2008, o Kosovo vai declarar a sua independência de facto e a Europa vai dividir-se"

2 comentários:

Anónimo disse...

Bem vista por António Barreto, a diferença entre os dois partidos de governo.

Anónimo disse...

Dois homens esclarecidos. António Barreto e Pacheco Pereira, gosta-se deles ou não se gosta, mas sabem do que falam, falam com conhecimento e não andam à procura de nada.
Gosta-se deles ou não se gosta, mas merecem ser ouvidos e respeitados. Eu gosto. Gostei sempre. De um e de outro.