sexta-feira, novembro 09, 2007

Rádio maltratada


Oiço muitas estações de rádio. E interrogo-me: como é que é possível que a produção radiofónica seja cada vez pior, se os meios tecnológicos são cada vez melhores? A maioria dos programas não tem interesse, é mal apresentada e oferece-nos músicas que não agradam a ninguém. Não é só a mim. Pergunto a um jovem e ele diz-me que só sintoniza a rádio "tal", porque tem a sua música preferida. Pergunto a um estudante universitário e ele responde-me que ouve apenas uma dada estação, porque tem música que lhe permite estudar. Interrogo uma senhora na casa dos cinquenta e ela propõe-me que oiça determinada rádio porque "as outras não prestam". Ou seja, para cada ouvinte, quase uma estação de rádio. E quanto à falta de qualidade dos animadores, todos são unânimes.
Neste sentido, ao ter conhecimento da morte de Júlio Botelho Moniz, o homem que fundou o Rádio Clube Português - que chegou a ser durante muitos anos a melhor estação de rádio em Portugal -, vieram-me logo à memória os bons tempos em que a rádio tinha mestres exigentes, tempos em que para se falar a um microfone era necessário realizar testes de competência.
Há dias, dizia-me um companheiro das lides radiofónicas, já reformado, que hoje em dia assiste-se na rádio a muitas "insuficiências profissionais que provocam falências vocacionais". E tem toda a razão. Qualquer proprietário de estação de rádio que simpatize com uma menina que seja cabeleireira ou advogada, com dois palminhos de cara laroca, logo a convida para locutora. Na verdade, já me aborrece solenemente que o amadorismo represente o pseudo profissionalismo e depois termos de ouvir coisas como estas: Rio Cavado, em vez de Cávado; sobre suspeita e sobre a alçada da lei, no lugar de sob suspeita e sob a alçada da lei; licóptero, em vez de helicóptero; pêlo, no lugar de pelo; navio patrulha Limpópó, em vez de Limpopo. E tantos mais exemplos. É triste ver a rádio tão maltratada.

18 comentários:

Anónimo disse...

É impressionante como o João tem tanta razão...

CPrice disse...

espelho de tantos outros maus tratos em tantas outras áreas .. com outro tipo de consequências .. coisas .. diz esta sua leitora cuja avó era fã dos parodiantes ;)

Bom fim-de-semana por aí

Anónimo disse...

Esqueceu-se da metrologia ou motreologia

joãoeduardoseverino disse...

Once in a while

Obrigado pela sua referência aos Parodiantes de Lisboa. Únicos na rádio mundial. 50 anos com um programa diário. Foi obra e perdeu-se algo de muito bom.
Ao dizer "Bom fim-de-semana por aí" quase que me atrevo a pensar que reside fora de Portugal. Se assim fôr, que lhe faça bom proveito, porque por aqui a "coisa" está má. Muitas felicidades.

Anónimo disse...

Vim só dizer-lhe olá, João Está tudo bem consigo?

Anónimo disse...

E quando os noticiaristas dizem que fulano de tal "apontou" isto e aquilo. Será que apontam com pistola ou sem pistola?

joãoeduardoseverino disse...

Ohhhhhhhhhhhhh!!!... Que surpresa agradável! O regresso da nossa comentadora Cistina Ribeiro. Então, pelos vistos correu tudo bem! Parabéns e volte sempre. Beijos.

Anónimo disse...

Também andava a estranhar a Cristina ter desaparecido. Bom regresso.

Anónimo disse...

E quando eles dizem "intrruptamente"?

Anónimo disse...

Eu gosto mais de ouvir "o deputado abusou do tempo"...

Anónimo disse...

Obrigada, Bruna e João! Ainda é a meio gás :)

Anónimo disse...

"Estamos a transmitir no FM" como se a frequência não fosse feminino.

Anónimo disse...

Chega p'ra lá, pá, que 'tás a incomodar a senhora.
Cristina, Cristina... está a abusar das instruções recebidas...

Anónimo disse...

Jornais, rádios e televisões: o chorrilho de asneiras é permanente. Antigamente, ainda não havia cursos superiores de comunicação e jornalismo, a melhor escola era «apanhar nas orelhas». Os chefes de redacção serviam muito para isso. Hoje, eles estão em vias de extinção: deram lugar a editores, designação sofisticada que os dispensa de responsabilidades sobre a asneirada dos jovens doutores...

Anónimo disse...

Falaram aqui em FM. E quando eles dizem: Frequência Modelada, em vez de Modulada. Deve ser por causa dos modelos como a Naomi Camphell que dostam da asneirada como simpatizar como Chavez

Anónimo disse...

Ainda hoje li uma "doutora" que escreveu no Diário de Notícias "cônjugue"

Anónimo disse...

Há momentos um dos "experts" que botam faladura na Antena 1 acaba de dizer "miserablistas"

Anónimo disse...

Tem razão, J.C. ; tenho de me conter, e aguardar a autorização médica, que espero ter na terça feira.