quinta-feira, outubro 07, 2010

PORTUGAL (2)

> Vera M. chega à pastelaria às 10.00 horas. O seu pequeno-almoço é rico em vitaminas (sumo de laranja) e proteínas (ovos mexidos, alface, tomate, salsicha, fiambre, queijo e pão). No final, um café duplo. Inicia o trabalho às 10.30, de segunda a sexta. Por semana, leva para casa, livre de impostos, aproximadamente 2.000 euros. É simpática, bem falante e desconhecida naquele bairro lisboeta. É prostituta.

2 comentários:

a.marques disse...

Totalmente válida a ironia de Raúl Solnado com algumas décadas: "Nós cá somos P.... mas somos sérias!"

Kruzes Kanhoto disse...

Ora aí está. Devia ser uma profissional liberal obrigada a passar recibo, cobrar o iva e pagar irs.