quinta-feira, outubro 07, 2010

METRO SUL DO TEJO




> Por acaso, lembram-se da presença dos governantes José Sócrates, Mário Lino e Ana Paula Vitorino na cerimónia de lançamento do Metro Sul do Tejo (MST)? Não se recordam? Bem, mal comparado foi um passeio de vaidades e de promessas no sentido propagandístico de que estava ali mais um meio de progresso para servir o "povo".
O Metro Sul do Tejo, hoje, está falido. O MST está em risco de parar. Diariamente existem cinco mil "penduras" que viajam sem pagar. E o Estado já deve à concessionária sete milhões de euros em compensações pela ausência do número de passageiros desde Julho de 2009.
Quando a incompetência impera no planeamento dos empreendimentos suportados com o nosso dinheiro, o que acontece é que a falência dos projectos é o mal menor. O maior, é o que está à vista... um país na bancarrota.

1 comentário:

Maquiavel disse...

Quando se querem mandar abaixo os transportes públicos é simples: é-se inconsequente e desleixado.

1 - näo metem fiscais, o povo näo paga
2 - näo há receitas, há prejuízo acumulado
3 - pede-se ao Estado para cobrir o prejuízo
5 - o Estado anda a "moderar o défice", e fecha-se a empresa
6 - o pessoal volta aos carros, que däo muito mais em impostos ao Estado, que o bem-estar do povo

Entäo näo häo tantos candidatos a fiscais no desemprego?