terça-feira, outubro 12, 2010

LUSA FAZ GREVE






> Tomei conhecimento que os trabalhadores da Lusa vão para a greve. Tenho jornalistas amigos na Lusa e eles lá sabem as linhas com que se cosem. Só estranho que homens da informação, obviamente bem informados, não saibam ainda quanto dói o desemprego, o que é gostar e pretender escrever notícias, artigos ou reportagens e não ter aonde, o que é chegar ao fim do mês e não poder comprar um "doce" ou um livro, o que é chegar junto do Sindicato e perguntar se existe algum fundo de maneio para quem ao fim de cinco anos de bater às portas dos jornais, rádios e televisões não conseguiu nem a função de motorista. Será que sabem o que é viver com 350 euros, quando antes se vivia com cinco mil?
Os jornalistas da Lusa podem ir para a greve e têm todo o direito, mas o que me admira é que reivindiquem aumentos salariais quando eles se situam num patamar de vida médio-alto, quando podem ter casa e carro, ir ao cinema e ao teatro, gozar férias, almoçar ou jantar num restaurante decente, ter filhos na escola privada e comprar livros, jornais e revistas, no mínimo.
Vá lá, nada mau, neste Portugal ainda há grevistas de luxo... Faço votos que consigam os seus intentos e já agora, que paguem um copo cá ao John...

7 comentários:

a.marques disse...

Pela boca morre o peixe. E pela barriga cheia também.

zeparafuso disse...

É! É verdade! Ainda há pessoas que não sabem dar valor a um trabalho. Se calhar são jornalistas que querem um emprego em vez de trabalho e acham-se mal remunerados. Se assim for deêm o lugar a quem trabalha ou a quem quer trabalhar. ( claro que no meio desta gente toda, haverá quem queira trabalhar )

Karocha disse...

Como diz e, bem o zeparafuso, alguns devem querer trabalhar,mas querem mais e mais, num País falido e,os incómodos comem raspas!!!

Pedro Coimbra disse...

Caro João,
Já há alguns anos, pessoa amiga viu-se confrontada com o seguinte episódio (foi na Telecom):
Uma colaboradora (não gosto da palavra subordinada) veio dizer-lhe que na sexta-feira não iria trabalhar porque estaria em Lisboa (isto foi em Coimbra) para estar presente na concentração grevista.
Mas não há greve da Telecom, reorquiu a tal pessoa amiga.
Resposta da colaboradora - pois não. Mas há uma greve e fui convocada pelo sindicato.
E vou.
Será que muitos dos "grevistas" não são deste tipo??

joãoeduardoseverino disse...

Pode ser que sim, caro Pedro. Acontece que a maioria não percebe o que é um sindicato. São os trabalhadores que deviam dar directrizes aos sindicatos e não os contrários. Os sindicatos actuais são piores que os patrões.
Neste capítulo, só tinham razão os anarco-sindicalistas. O meu sogro foi deportado para Timor por certos "democratas" por defender o poder dos sindicalistas e não das direcções sindicais, que é uma criação dos revisionistas e sociais-fascistas.

w. r. disse...

era bacano que alguem publicasse os ordenados dos jornalistas da lusa

manuel gouveia disse...

Meu caro John, desconfio que não saibas falar da economia com a desfaçatez e a cara de pau de um ex-ministro das finanças... terias seguramente um lugar num desses canais de notícias.