segunda-feira, outubro 18, 2010

FACE OCULTA: JUIZ APRESENTA FACTURA GRAVÍSSIMA

> António Martins é o presidente da Associação Sindical de Juízes. Escreve, hoje, um artigo no 'DN' que deixa os leitores perplexos e estonteados. As suas afirmações são de uma gravidade extrema, que jamais alguém se tinha atrevido a tão contudência verbal, tão poderosa e demolidora. António Martins arrasa o Governo e o PS a propósito do Orçamento do Estado para 2011, começando por dizer que o OE "é um roubo a 450.000 portugueses. A redução dos seus rendimentos não é um imposto universal e progressivo, dirigido a todos os cidadãos com capacidade contributiva. Não é uma expropriação ou nacionalização, pois não se prevê devolver tal dinheiro. É um confisco, arbitrário, invocado para combater o défice de 2011, mas que se irá repercutir naqueles 450.000 cidadãos para o resto da vida".

O presidente da Associação Sindical dos Juízes vai mais longe e a dado passo do seu artigo, sob o título "O Orçamento das nossas vidas", arrasa o Governo ao salientar que a vingança do Executivo para com os juízes se deve ao facto de estes magistrados terem incomodado os "boys" do PS. "Se o Orçamento do Estado for aprovado, como foi proposto, os juízes verão o seu rendimento global reduzido em 18%, enquanto a regra máxima é de 10%, e, mesmo os políticos, com a redução anterior de 5%, se ficam pelos 15%. Os juízes são os mais atingidos. É a factura de terem incomodado os "boys" do PS, mais recentemente no caso Face Oculta".

António Martins ainda de uma forma surpreendente, conclui: "Mas parece que o Orçamento do Estado também irá servir para o PS e o Governo colocarem outros "boys", agora na cúpula dos tribunais".

1 comentário:

Tite disse...

A notícia já me passou pelos ouvidos quando saí para fazer compras.
Eu nem acredito que esta classe profissional, que deveria ser exigente no seu comportamento, venha uma vez mais demonstrar a falta de carácter dos seus líderes.
Como é possível que se faça chantagem da mais baixa para fazer valer os seus privilégios que não querem perder nem à lei da bala?
E se os pobres que quase estão a ficar sem pão para comer desatarem a disparar na direcção deles?

Desculpem o meu basismo mas esta notícia fez-me tirar do sério.