sexta-feira, outubro 01, 2010

ESTAVA NA CARA





> Manuel Carvalho da Silva mostrou a sua indignação como secretário-geral da CGTP logo que tomou conhecimento das medidas anunciadas pelo Governo em prejuízo de centenas de milhares de portugueses da classe média e média-baixa. Desta vez, a incompetência do governo patenteada ao longo dos últimos seis anos ficou traduzida numa decisão repentina através da qual os portugueses irão sofrer privações que nem sequer ainda imaginam. Neste contexto, os sindicatos afectos ao PCP e ao PS não podiam virar as costas aos mais sacrificados e explorados pela incompetência governamental. Nesse sentido, está anunciada uma greve geral para o próximo 24 de Novembro.
A CGTP vai avançar com uma greve geral, antes da aprovação do Orçamento do Estado, contra as novas medidas de austeridade do Governo. A UGT, central sindical de tendência socialista e que nunca promoveu uma greve geral em Portugal, admitiu também ter agora motivos acrescidos para se juntar aos protestos, através de João Proença, líder da central sindical.
O Conselho Nacional da CGTP esteve ontem reunido todo o dia a discutir como os sindicatos iriam reagir ao novo pacote anti-crise do Governo. Depois de uma intensa discussão, a data de 24 de Novembro acabou por ser aprovada por unanimidade e foi anunciada esta manhã por Carvalho da Silva aos microfones da Antena 1.

1 comentário:

Ze Carlos disse...

Apenas dois reparos a esta noticia:
- A UGT não é de tendencia socialista,ainda que estes tambem ali estejam representados, como alias lá estao social democratas, democratas cristaos, independentes e ate comunistas.
- EM 1988, a UGT convocou e apoiou a greve geral então realizada.