segunda-feira, outubro 04, 2010

CHAMPALIMAUD GENÉTICO

> Em Timor, no ano de 1970, tornei-me amigo do alferes Manuel Champalimaud. Um jovem acabado de casar, e que entre algumas conversas de fim de dia na varanda de sua casa, me dizia que a fortuna de seu pai não era tudo na sua felicidade. Em determinadas circunstâncias deparei-me com algo estranho. Estava perante um futuro milionário que tinha preocupações com os males dos outros.
Passados tantos anos poderei concluir que a preocupação do Manuel era genética, ao tomar conhecimento que a Fundação Champalimaud está interessada em abrir o seu centro científico à generalidade dos cidadãos através do Serviço Nacional de Saúde.
Afinal, ainda há notícias boas: Presidente da Fundação Champalimaud defende acesso universal ao novo Centro do Cancro.

Sem comentários: