terça-feira, setembro 14, 2010

RICARDO COSTA BEM MERECE


> É uma anormalidade. Mas, uma anormalidade boa. O melhor jornal português passar a ser dirigido por um jornalista de 40 anos e que já deu provas de isenção e profissionalismo. Ricardo Costa vai assumir a direcção do 'Expresso'. E ainda bem.

Henrique Monteiro abandonará, a 1 de Janeiro de 2011, o cargo de director do semanário, posição que ocupou durante os últimos cinco anos. A sucedê-lo, estará Ricardo Costa, que ocupa desde Novembro de 2008 o cargo de director adjunto da mesma publicação.

Isto não quer dizer, no entanto, que Henrique Monteiro abandone o jornal onde trabalhou, inicialmente como editor da Revista e da secção de Sociedade, e depois (a partir de 1995) como subdirector. Henrique Monteiro irá, a partir de Janeiro do próximo ano, assumir o cargo de administrador não executivo da Impresa - holding detentora de publicações como a Courier Internacional, a Blitz, a FHM, a Visão e o operador de televisão privado SIC, para além do 'Expresso'.

A acumular à posição na administração da Impresa, Henrique Monteiro deverá também ocupar a posição de director e coordenador editorial para Novas Plataformas, em que se encarregará de optimizar o formato e conteúdo do jornal para, segundo um comunicado da Impresa, "coordenar a implementação da estratégia do grupo" na área das novas tecnologias, em particular das plataformas móveis e telecomunicações.

Ontem, numa carta enviada à Redacção, Henrique Monteiro realçava a promessa que fizera a Francisco Pinto Balsemão (presidente do Conselho de Administração da Impresa), de que não permaneceria no cargo de director do 'Expresso' durante mais de quatro anos. Foi então neste espírito que, segundo o próprio jornalista, Henrique Monteiro se retira (ao fim de cinco anos) da direcção do semanário em que levou a cabo uma renovação de conteúdos, de equipa, de grafismo e formato, bem como na área dos suplementos.

Quanto a Ricardo Costa, o antigo director da SIC Notícias (entre 2003 e 2008, antecedendo António José Teixeira no cargo), o jornalista e comentador iniciou a sua carreira precisamente no 'Expresso', na secção de política, em 1989. Ingressou em 1992 nos quadros da SIC, em que em 1996 se tornou editor de política e director adjunto de Informação em 2001.


1 comentário:

joshua disse...

Na SICN, o Ricardo convida muitos interlocutores, mas por vezes, numa excitação de iluminado, não deixa falar ninguém. Tem de tratar essa compulsão.