segunda-feira, setembro 20, 2010

O PARTIDO SOCIALISTA ESTÁ DE LUTO


> Lamento que o Partido Socialistra não tenha emitido um comunicado em homenagem a um homem bom que muito deu ao partido contra a vontade e prepotência dos seus superiores. O padre António Salvador Cabral morreu ontem em Braga com um concro aos 67 anos. Este homem excepcional tinha estado envolvido em polémica nas últimas eleições autárquicas, no ano passado, quando se candidatou pelo Partido Socialista à presidência da Assembleia Municipal de Famalicão. Essa opção teve a oposição do arcebispo de Braga, de quem Salvador Cabral dependia.
Missionário em Angola, durante a década de 60, enquanto membro da congregação dos Missionários do Espírito Santo, o padre Salvador Cabral foi nessa época perseguido pela PIDE, a polícia política do Estado Novo.
Depois de deixar Angola, Salvador Cabral foi trabalhar com emigrantes portugueses na Alemanha, onde desenvolveu várias obras sociais. Músico, o ex-pároco de Nine e Santa Eulália de Arnoso (onde esteve década e meia, tendo saído no início do Verão, por decisão do arcebispo, antes de a doença se anunciar) compôs peças para o canto litúrgico e fundara vários coros de música, além de ter publicado vários livros.
O Partido Socialista não pode homenagear na hora da morte apenas aqueles que se pavoneiam ao longo da vida pelos Ministérios, pela Assembleia da República e pelas televisões.

Sem comentários: