terça-feira, setembro 07, 2010

CANTINHO DO POETA

> Entrei numa pastelaria e deliciei-me. Com os bolos? Não, com os livros que estavam à disposição dos clientes numa estante própria promovida pela 'Chiado Editora'. Um dos livros que escolhi surpreendeu-me. A imensa qualidade da poesia de Dulce Guarda, uma jovem licenciada em Gestão e funcionária do Banco Santander Totta. Para vos apresentar o livro que tem por título "Momentos", deixo-vos com
O (falso) despertar

Acordei...
... ou pelo menos pensei.
Os olhos abriram e
Tudo parecia bem.

A cada passo meu,
Algo novo acontece.
E tudo parece
Que acabou de acordar!

De reoente,
Sou invadida por uma força estranha
Que me alaga de incertezas
Me enche de coragem
Me faz ir até ao topo
E me faz pensar...
... se devo ou não saltar...

Em tudo acho confusão,
Tudo me faz interrogar
Sem que eu ache
Qualquer solução.

Por fim paro e penso:
Terei eu acordado?

Vida! Que palavra tão completa,
Tão cheia de alegria e de tristeza,
Tão cheia de agonia e de mágoa,
Tão livre e tão bela.

Por vezes queima,
Por vezes aquece.
Sempre tão senhora,
Nunca esmorece.

Ah! Ilusão!
Porque vens destruir o sonho,
Os passos que pretendo dar?
Porque não me concedes
O direito de sonhar?

Sofro. A vida nem sempre é bela.
Nem sempre nos acolhe.
Nem sempre nos protege
Dos males do fado.

Continuo a sofrer. O coração aperta.
Tento gritar alto...
Mas a voz... ninguém a ouve
Apenas eu a sinto desmaiar no ar.

Porque não me deixas Vida?
Porque continuo a sofrer?
Será que alguma vez vou parar
De sonhar e de VIVER?

© dulce guarda - chiado editora

Sem comentários: