quinta-feira, setembro 23, 2010

400 CARROS POR ÁGUA ABAIXO


> Não podemos ser todos tolos. O país ouviu estupefacto a notícia de que a empresa pública "Águas de Portugal" possui uma frota de 400 carros topo de gama para os seus técnicos, chefes, directores e administradores. O espanto leva ao lamento imediato. O choque psicológico é grande mas logo de seguida, exclama-se: "O que é que se há-de fazer?". Pegar fogo aos carros em sinal de revolta popular? Não, porque as viaturas são do povo. Cortar a cabeça aos administradores? Não, porque seria homicídio. Pegar fogo às "Águas"? Não, porque existe água suficiente para apagar as chamas.
O que há a fazer é o que a minha consciência de profissional me obriga, em face dos dados que disponho. A de desmascarar esta escumalha de gestores que inunda Portugal com objectivos muito concretos e com estratégias de economia muito bem definidas.
Podem crer que a compra escandalosa de 400 carros para as "Águas de Portugal" não é um acto inocente ou um esbanjamento por incompetência. A compra vergonhosa e desnecessária de uma frota de veículos caros e de outras decisões incompreensíveis levadas a efeito na empresa, insere-se numa estratégia de gastos sumptuosos que resultem na criação de um passivo grandioso e impossível de suportar, o qual deverá servir de justificativo para a privatização da empresa. Límpido como a água...

1 comentário:

S.C. disse...

Nem mais! Não tarda vendem tudo. E, entretanto, aproveitam para ir gozando mordomias de carros topo de gama. E o Zé Povo paga e nem bufa!