quinta-feira, agosto 26, 2010

NÃO POSSO FALAR

> Entrevista pífia de Duarte Lima a Judite de Sousa, na RTP. "Não posso falar", foi a frase mais ouvida pelo entrevistado. Duarte Lima não é suspeito do assassínio de Rosalina Ribeiro e não é arguido em qualquer processo judicial relacionado com a morte da senhora. Neste sentido, não se compreende como é que Duarte Lima passou toda a entrevista a dizer que não podia falar sobre isto, sobre aquilo e aqueloutro, perguntas normais relacionadas com toda uma matéria que tem sido esmiuçada em toda a comunicação social portuguesa e brasileira.
Duarte Lima queixa-se das notícias que têm vindo a público. Como é que não hão-de falar da sua passoa se foi ele que se deslocou ao Brasil, que esteve com Rosalina Ribeiro num café do qual não recorda o nome, que transportou a senhora num carro de que não se lembra da marca para uma vila erma quando a mesma senhora nunca se ausentava para lado nenhum à noite, que diz ter deixado a senhora num hotel quando o estabelecimento mais se assemelha com uma pensão rasca (local que nunca seria visitado por uma milionária) e foi ainda Duarte Lima que anunciou ter conhecido uma companheira da senhora que ninguém conhece e que ninguém encontra. Com estes simples factos, como é que Duarte Lima não quer ser falado na comunicação social? E por que razão vem afirmar que o procedimento jornalístico configura um acto sinistro?
Conclusão: Duarte Lima valia mais ter estado calado. Não sei por quê, mas fez-me lembrar as entrevistas de Armando Vara e Dias Loureiro...

1 comentário:

Karocha disse...

Pois!
Eu cá tenho uma teoria JES...