terça-feira, agosto 31, 2010

A ETERNA CASA PIA

> Ontem, tive o ensejo de conversar com uma das vítimas da Casa Pia de Lisboa. A sua história de vida dava um livro que venderia mais exemplares que qualquer um do Miguel Sousa Tavares. Mas, isso, seria oportunismo. Nego-me a aproveitar uma história com centenas de histórias verdadeiras que traria a público tudo o que os investigadores e os tribunais se recusam a aprofundar.
O meu interlocutor foi abusado sexualmente vezes sem conta. Por gente com cargos importantes na administração pública, na hierarquia das Forças Armadas, na hierarquia das igrejas, nos directórios clínicos de unidades de assistência médica, nos escritórios de advogados, engenheiros e arquitectos, nas administrações de grandes empresas sendo algumas estatais. Ele sabe quase tudo. Ele sabe quase todos os nomes da gente importante que não está no banco dos réus. Ele sabe a razão pela qual os réus são os que estão na barra do tribunal. Ele sabe que entre os réus há alguns inocentes. Ele sabe que muitos abusados foram comprados para ficar calados. Ele sabe que na Casa Pia de Lisboa continuam alunos a vender o corpo. Ele sabe que a pedofilia está ligada à miséria humana. Ele sabe que a pedofilia aproveita-se das famílias destruídas e dos filhos abandonados. Ele sabe que as redes de pedofilia internacionais "pescam" em águas da Madeira, dos Açores, de Olhão, de Albufeira, do Portinho da Arrábida, da Foz do Arelho, da Figueira da Foz e nas águas dos balneários de certas instituições de apoio social a jovens.
Ele sabe uma coisa muito grave: que um dia vai matar o homem que o tratou "abaixo de cão"...

5 comentários:

joshua disse...

Deplorável, meu caro. Abraço.

Carlos Dias Ferreira disse...

João:

Apesar de tudo ainda penso que a verdade virá ao de cima.
Triste é esta novela arrastar-se desde 2002.
Dou-te os Parabéns pelo teu texto e linha de racicinio.

Karocha disse...

Nem sei o que dizer JES...

Pedro Coimbra disse...

Caro João,
Como é que que é possível sentir atracção física por crianças?
Como é que é possível, mesmo que se seja suficientemente depravado para sentir atracção física por crianças, abusar sexualmente dessas crianças?
O texto refere o Sousa Tavares.
Somos ambos juristas, somos ambos humanistas, não devíamos, obedecendo ao polticamente correcto, pensar o que pensamos - só há uma pena adequada a este tipo de crime - a castração, obviamente!!
Nisso, o Sousa Tavares e eu estamos inteiramente de acordo.
Abraço

André Couto disse...

Caríssimo João,
esperei por este dia, intencionalmente, para colocar um comentário ao seu post em forma de pergunta.
Dos hoje condenados quantos, e quais, estarão inocentes?
Dos casapianos arrolados como testemunhas quantos disseram a verdadee quantos terão mentido? E a que preço?
Continuo a defender a ideia que mais vale deixar 100 culpados impunes do que condenar um só inocente...