terça-feira, julho 27, 2010

NA HORA DA MORTE

> Na hora da morte de personalidades ilustres há sempre o hábito de tecer loas a própósito da figura que desaparece do seio dos vivos. Macau contrariou a regra. Morreu o almirante Almeida e Costa e logo apareceram umas mentes doentias e ingratas a maldizer a figura e o trabalho do ex-governador. E ainda bem. Porque, assim, quando chegar a hora da morte desses arautos da "verdade" já lhes podemos chamar todos os nomes que foram ao longo da vida...

4 comentários:

Jose Martins disse...

Pois,pois se pode...mas eu não me eansaio nada de lhes chamar em vida...

Branquinho disse...

O João, já pssaste dos 60 e ainda te admiras por estes comportamentos de "gentalha" reles?
Não proteles o que sabes desta escória, conta enquanto vale porque o tempo esquece.

Anónimo disse...

a alguns é assim: corruptos, mafiosos, ladrões, assassinos, bajuladores, fraudulentos, usurpadores do dinheiro público, financiadores de maçonarias, exploradores, chantagistas, cornudos, travestis e vendidos.

Jose Martins disse...

Resposta ao anónimo,
Querem lá saber os corruptos se são cornudos...
Alguns de certezinha usaram as mulheres para se guindarem na vida.
Depois um corrupto sem uma valente cornadura, na testa, é um jardim depenado e sem flores.
Mas depois dos cornos há outros que são "maricas" ou gostam de brincadeiras com meninos.
Infelizmente Portugal é um país cheio de podridão que necessita de um bom detergente à base de soda cáustica para a fazer desaparecer.