quinta-feira, julho 01, 2010

E EU PENSAVA QUE ERA PORTA-VOZ


> Um porta-voz do maior partido político deve ser, em princípio, uma pessoa de bem, de verdade, de seriedade, de cultura política, de inteligência superior, de cordialidade extrema, de comunicação transparente e com o tempo totalmente dedicado ao partido. Pensava eu que era assim, mas não é.
Ser-se porta-voz deve servir acima de tudo para se arranjar uns bons negócios e umas boas ligações a consultadoras jurídicas que resultem nuns bons milhões de lucro.
Fiquei admirado que um projecto de luxo erguido em Monchique [e que nos daria muita água pela barba em explicar como tudo aconteceu], o 'Longevity Wellness Resort', hotel de luxo, tenha Vitalino Canas como o advogado do projecto...

1 comentário:

Carlos Dias Ferreira disse...

João:

Para além disso também é provedor das empresas de escravatura do seculo XXI (trabalho temporário) mas claro como bom socialista socrático não deve receber um tusto!
Eu penso que ou nos revoltamos ou eles nos tiram a pele que esta canalha não faz por menos.