quinta-feira, julho 22, 2010

DESCULPE LÁ A BURRICE

> Que o líder do PSD me desculpe a burrice mas não percebo a que propósito veio nesta altura do campeonato dar um tiro no pé.
Os portugueses estão preocupados com a conta bancária que nunca mais engrossou.
Quase todas as famílias já têm alguém desempregado na sua árvore genealógica.
O futuro é incerto porque até o dinheirito depositado nos bancos já lá não está.
As empresas encerram as portas com dívidas astronómicas. Até a padaria de um conhecido meu fechou ao público porque não podia pagar mais do que 500 euros aos padeiros e o caro Pedro Passos Coelho entendeu que neste momento seria bom falar de mudança na Constituição. E nem o Ângelo Correia ou o Miguel Relvas lhe disseram que o pessoal não está nada, mesmo nada interessado em "comer" a Constituição.
A vida nos dias de hoje não se compadece que o texto constitucional fale em alhos, bugalhos ou caralhos. O povo quer é comer, casar os filhos, baptizar os netos, levá-los para a escola e ir de férias. E nada disto começa a ser possível levar por diante. E esse é que é o problema que os políticos não entendem. Ainda ontem, numa cervejaria, um dos clientes dizia assim: "No dia em que não puder comer estes caracóis e mamar estas bejecas dou um tiro num ministro!".
Mas, no palácio da Lapa isto é linguagem de taberna e a agulha do PSD está mais virada para portugueses que começam a escassear, preferindo dar prioridade à aprovação de um anteprojecto de revisão constitucional.

2 comentários:

ana buisel disse...

Gostei imenso.

Jorge Cabral disse...

Passos Coelho atingiu o "Princípio de Peter". Conseguiu com isso o impossível:
- Hoje, o PS ressurgiu das cinzas com bandeira e tudo. E porquê? Simplesmente porque Passos Coelho se deixou ir pelos "inteligentes" que o aconselharam nesta cruzada inopinada e intempestiva e lhe deu de novo razão de ser, refiro-me ao PS, claro, que já a havia perdido por gritante e escandaloso demérito.
Hoje, com pompa e o peito cheio de vento, o PS apresenta-se como defensor do Estado Social, imaginem, logo o PS. Diria o Gordo: "E pode???". Pode pois, o Passos Coelho a isso o autorizou.
Ganda BURRO.