quarta-feira, junho 30, 2010

CARTA ABERTA A JOÃO MARCELINO

Caro Director do 'Diário de Notícias'

O jornal que dirige é histórico. É um jornal sério, apesar de partidário. Os profissionais do DN são uma simbiose de profissionais experientes e de grande qualidade com uma juventude repleta de vontade em aprender.
O DN não pode continuar ao sabor de uma onda de amadorismo que se introduziu pela janela da avenida da Liberdade e que ocupou os gabinetes de Direcção.
O DN está a perder leitores desde que o senhor assumiu a responsabilidade directiva do diário mais enraizado no povo do Sul. Mas esse povo não gosta de artigos desinteressantes, escritos por colaboradores sem nível intelectual, cultural e académico. Não gosta de notícias tendenciosas que, simplesmente, tentam desculpar um primeiro-ministro mentiroso e arrogante que enterrou este país até à miséria, com excepçãp dos novos seiscentos milionários.

O João Marcelino foi director do diário que vende mais exemplares. E sabe perfeitamente a que se deve o topo de vendas do 'Correio da Manhã', apesar de ser um jornal sem nível. Unicamente porque é um jornal que sabe angariar publicidade e apresenta notícias de todo o país que interessam a todo o tipo de portugueses.
O DN prefere apresentar uma primeira página sem interesse, sem vida, sem atracção, sem venda. Convido-o a passar pelas bancas de rua e a observar os potenciais compradores de jornais. Chegam ao local, olham para todos os jornais expostos e depois levam o 'Correio da Manhã'. Fique certo, caro João Marcelino, que a maioria "come com os olhos".
Por outro lado, o senhor há muito que devia ter-se assumido como director do jornal. Preocupar-se com os temas a apresentar, com a qualidade das notícias, com os lobis instalados no jornal, com os erros ortográficos e com as gralhas, com o ensinamento aos jornalistas mais jovens, com os jornalistas que só fazem fretes a pretensos (sem hipótese) candidatos presidenciáveis.
O João Marcelino desde o momento em que aceitou ser direcor deste DN [que perdeu quarenta mil leitores nos últimos quatro meses] apenas se devia preocupar com toda a máquina produtiva do jornal e provocar as mudanças necessárias doesse a quem doesse quando chegasse o momento de cortar aqui ou modificar ali.
Deixe-se de artigos de futebol, deixe-se de pavonear-se por exposições, abandone os ecrãs de televisão. O seu tempo em plenitude deve ser dedicado à Redacção, caso contrário será o descalabro de um jornal de que muitos de nós ainda gostamos.

Cumprimentos

PS - Se se riu com o que escrevi, apenas dizer-lhe que ainda você brincava à apanhada e já eu trabalhava numa Redacção de jornal.

5 comentários:

Anónimo disse...

bem escrito.

Carmindo Mascarenhas Bordalo disse...

O João Marcelino está no DN e o João Severino no PPTAO porque o primeiro faz fretes ao poder e o segundo publica notícias de interesse público, doa a quem doer.
Esta é a diferença.

joãoeduardoseverino disse...

Obrigado ao Anónimo e ao professor Bordalo.
Na verdade, só posso garantir uma coisa e já lancei aqui o desafio. Se me fosse concedida a oportunidade, garanto que em três meses aumentava a venda do jornal entre 20 a 50 mil leitores.
Só um exemplo: o semanário 'Sol' com uma patacuadas na primeira página já aumentou as vendas consideravelmente.

Caro Professor Bordalo
Anda muita gente com saudade das suas crónicas.
Abraço

Carlos Dias Ferreira disse...

João_

Dou-te os meus sinceros Parabéns pelo texto que escreveste. A verdade é para ser sempre dita doa a quem doer.
Tenhpoeoa absoluta certeza que contigo ao leme as coisa mudavam no DN quem tiver dúvidas basta ver o trabalho que fizeste no "Diabo" e por pouco tempo. Jornalistas como tu há poucos acima de tudo isentos, porque o que vemos hoje é única e exclusivamente o acocorar aos pés do trafulha do sócrates e seus "muchachos". Continua sempre assim amigo e força.

joãoeduardoseverino disse...

Obrigado Carlos. É a tua amizade. Abraço