segunda-feira, maio 03, 2010

A VERGONHA DO FUTEBOL


> Ontem, senti vergonha de ser um adepto do futebol português. O que se passou no Porto foi deplorável. O ódio demonstrado por certos intervenientes na "guerra" FC Porto- Benfica demonstra que os dirigentes do futebol valem zero e deviam ser todos afastados dessa função. Limito-me a descrever o que vi. Pinto da Costa, presidente dos portistas afastado do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira. Só este facto, provoca tudo o resto.
Dezenas de isqueiros, dois telemóveis e várias bolas de golfe atirados ao guarda-redes Quim. Um isqueiro atirado à cara do treinador Jorge Jesus. A televisão gravou o agressor e este deveria ter sido imediatamente detido pela polícia. Jogadores que se insultavam constantemente durante o jogo. Panchões incendiários atirados para junto do guarda-redes Quim. Funcionários do FC Porto a insultarem Jorge Jesus no interior das instalações onde se encontra a sala de imprensa. Um comandante da PSP a mentir quando afirmou que o autocarro do Benfica não tinha sido alvo do arremesso de pedras e bolas de golfe partindo um vidro e ferindo dois jogadores do Benfica. Luisão a atirar uma bola de golfe para as bancadas. A PSP a agredir à bastonada sem qualquer motivo os adeptos do Benfica na entrada enquadrada pela polícia para o estádio.
Cenas condenáveis em toda a sua extensão. Uma vergonha, que a continuar nestes termos, devia obrigar a castigos exemplares aos clubes anfitriões com este comportamento de forma a terem os seus estádios interditos ao público durante vários jogos.

2 comentários:

João Paulo Borges disse...

O João tem toda a razão.
Infelizmente, o caso Hulk prova isso, os arruasseiros no futebol português são protegidos e até incentivados.

Abraço

Paulo disse...

O Luisão fingiu o arremesso do objecto e deixou-o cair nas costas.