domingo, maio 16, 2010

FC PORTO VENCE TAÇA DE PORTUGAL

> O Desportivo de Chaves saiu do Estádio do Jamor de cabeça erguida após a derrota honrosa com o FC Porto por 1-2. Como dizia um adepto do Chaves à saída do estádio, "o Desportivo ganhou ao Porto por um a zero na segunda parte", um resultado inesperado se atendermos ao grande favoritismo dos portistas.
Como momentos marcantes da final de realçar o lance em que logo no início do encontro o Desportivo de Chaves enviou um remate ao poste da baliza do FC Porto e no segundo tempo os adeptos do Porto assobiaram a má prestação da equipa. De salientar ainda a péssima compustura ética do treinador Jesualdo Ferreira que não se cansou de insultar a comunicação social por não ter dado grande importância ao jogo no Jamor.

PAU COMMENTS

a.marques disse...

Em boa parte e desta vez parece-me que o Jesualdo teve razão. Certa imprensa chamada de Lisboa ao menorizar esta final e os seus participantes não ofendeu o Desportivo de Chaves classificou-se e atolou-se a ela própria. Por exemplo o "Record" fez uma abordagem como se estivesse perante um jogo de solteiros e casados ou compinchas de taberna. A demonstração doentia de fidelidades não precisa descer tão baixo e ser tão rafeira. Se JES me permitir gostaria de registar a passagem de Jesualdo pelos júniores dos presuntos algures em 1963/64 neste histórico plantel: Ramin, Jesualdo, Tora, Lopes e Tozé, Garcia, Herculano e Malásia, Zé da Europa, Victor e Aarão.

2 comentários:

Daniel Santos disse...

parabéns ao Porto e ao Chaves.

a.marques disse...

Em boa parte e desta vez parece-me que o Jesualdo teve razão. Certa imprensa chamada de Lisboa ao menorizar esta final e os seus participantes não ofendeu o Desportivo de Chaves classificou-se e atolou-se a ela própria. Por exemplo o "Record" fez uma abordagem como se estivesse perante um jogo de solteiros e casados ou compinchas de taberna. A demonstração doentia de fidelidades não precisa descer tão baixo e ser tão rafeira. Se JES me permitir gostaria de registar a passagem de Jesualdo pelos júniores dos presuntos algures em 1963/64 neste histórico plantel: Ramin, Jesualdo, Tora, Lopes e Tozé, Garcia, Herculano e Malásia, Zé da Europa, Victor e Aarão.