quarta-feira, maio 19, 2010

DESAFIO


Jorge Cabral*



AVASSALADOR

Tal como ao filósofo da corte (Pacheco Pereira) também algo se me depara “AVASSALADOR”.

Mas apesar disso e tal como ao referido “filósofo de serviço”, tudo persiste sem alteração e segue imperturbável.

Acompanhei com crescente espanto e por fim já com indignação, a entrevista de dois dos mais “credenciados” jornalistas da TELEVISÃO PÚBLICA, ao Primeiro-Ministro.

A falta de qualidade dos entrevistadores é pungente e eu quero acreditar que seja só por falta de preparação do trabalho. Seja como for, um tão medíocre trabalho seria, a menos que previamente combinado por razões de conveniências inconfessáveis, motivo para despedimento com justa causa. Gente com aqueles escandalosos níveis de remunerações NÃO PODEM escarnecer de todos nós daquela maneira.

Até em termos de elementar postura, com permanentes sorrisos idiotas e totalmente desfasados da seriedade e dureza deste momento, tais “profissionais”, mostraram incompetência sem limites.

Tratar de assuntos daquela natureza, com quem se tratava, depois do anúncio de um quadro de dificuldades para todos que causará seguramente dor e sacrifício que a tais sujeitos nem lhes passa pela cabeça, com a leviandade permanente, a leveza de quem está num concurso de qualquer dos “gordos” que na mesma televisão detém o respectivo monopólio, é algo que confrange e insulta todos e cada um de nós.

A incompetência neste país e nos serviços públicos e colaterais está a tomar proporções de “não retorno”.

É verdade, já me esquecia de dar os parabéns ao Primeiro-Ministro. Não o suportando e ele sabe bem disso, não posso deixar de reconhecer que esteve bem. Pena é que já seja Primeiro-Ministro há cinco anos e que não consigamos, por muito esforço que façamos, desligar o difícil estado em que nos encontramos, da sua própria governação. É claro que ele não é o único responsável. O garotelho que se auto-exportou para Bruxelas, o outro que também fugiu para se refugiar nos refugiados, o Sr. Silva e seus respectivos séquitos, são os responsáveis pela calamidade que urge pagar. Pelo menos, é saudável que se “dêem nomes aos bois” para que tudo não se resuma a ficar simplesmente “AVASSALADOR”.


*Cronista residente

Sem comentários: