sábado, maio 01, 2010

AYRTON SENNA: DIA TRISTE


O "charuto" de Fórmula 3 com que venceu em Macau, 1983

> Em Novembro de 1983 iniciei uma amizade que durou onze anos. O jovem Ayrton Senna chegava a Macau para disputar o Grande Prémio de Fórmula 3. Eu correria nos carros de turismo. A língua portuguesa juntou-nos e nessa semana demos várias voltas ao circuito no meu carro para que o Ayrton tomasse o pulso e os ângulos das curvas do circuito mais difícil do mundo, como referi aqui. Ambos subimos ao pódio no final. Ele foi o grande vencedor do Grande Prémio e eu conquistei o terceiro lugar na classe que disputei. Ficámos grandes amigos e sempre que o Ayrton passava por Hong Kong havia jantarada da boa. Em 1994 convidou-me para assistir a várias corridas do campeonato de Fórmula 1, mas ao Grande Prémio de Itália, em Ímola, eu tinha informado da impossibilidade de estar presente. E ainda bem. Assim, não assistiria ao grande acidente que lhe ceifou a vida. Hoje é um dia triste. Em 1 de Maio de 1994 Ayrton Senna, o melhor piloto de Fórmula 1, deixou-nos prematura e tragicamente.

3 comentários:

radical livre disse...

nunca acontece aos filhos da puta.
assisti pela tv e tive a sensação nitida que morrera. mentiram como sempre

Jose Martins disse...

Eu por caso passava em Macau nessea altura... Estava, eu, no lobby do Hotel Lisboa e vi entrar um jovem que logo me saltou à vista ser um corredor de automóveis, sem saber que viria a ser, no futuro, um grande corredor de Formula1.
Nunca mais esqueci a cara do Ayrton Sena.
Foi a primeira visitei Macau, ainda o progresso não tinha ali chegado.
Nessa altura, tirei uns dias do itinerário que seguia a dar a volta ao mundo que demorou 42 dias!
Abraço
Zé Martins

Jose Martins disse...

Eu por caso passava em Macau nessea altura... Estava, eu, no lobby do Hotel Lisboa e vi entrar um jovem que logo me saltou à vista ser um corredor de automóveis, sem saber que viria a ser, no futuro, um grande corredor de Formula1.
Nunca mais esqueci a cara do Ayrton Sena.
Foi a primeira visitei Macau, ainda o progresso não tinha ali chegado.
Nessa altura, tirei uns dias do itinerário que seguia a dar a volta ao mundo que demorou 42 dias!
Abraço
Zé Martins