segunda-feira, maio 31, 2010

80 BALAS


> Considerado um dos maiores cineastas da actualidade, Clint Eastwood completa 80 anos hoje. Ícone do cinema nos anos 60, 70, 80, 90 e 2000, o actor, realizador e produtor passeou por vários géneros (faroeste, drama, policial, guerra, romance), sempre tendo como destaque um trabalho sério e cuidadoso. A cara quase sempre fechada e as falas repletas de mau humor dos seus personagens, no entanto, não escondem outra característica que torna Eastwood um realizador genial: a sensibilidade.

Mesmo depois de ter declarado que não iria comemorar os seus 80 anos e que não queria presentes, o cineasta ganhou uma homenagem da Warner Bros., da qual é contratado desde 1975. A empresa lançou, nos Estados Unidos, a colecção Clint Eastwood, com 35 filmes em que ele trabalhou como realizador e/ou actor. A caixa é composta por 19 DVDs e é o maior já lançado com obras de um único artista. Na seleção, antigos clássicos e filmes mais recentes, como O Desafio das Águias (1969) e Gran Torino (2008).

Fanático por jazz e exímio pianista, o realizador, que nasceu em São Francisco, Califórnia, insere sempre que possível o género musical na trilha sonora das suas longas metragens, que contam também com a sua colaboração como compositor. "Vi uma foto do Clint, no set de As Pontes de Madison, em que ele estava a ajeitar um reflector. Isso é de uma sensibilidade incrível. Se o cinema fosse uma entidade religiosa, o Clint seria um dos santos no altar", diz o realizador Walter Carvalho. Ao todo, Eastwood já dirigiu 33 filmes, o que faz dele um dos cineastas mais produtivos de todos os tempos.

A sua versatilidade influencia cineastas de várias partes do planeta, inclusive do Brasil. Vicente Amorim (Um Homem Bom, 2008) é um deles. "Por causa de Corações Sujos (próximo longa do realizador, que deve ser lançado em 2011) vi e revi Cartas de Iwo Jima (de Eastwood) muitas vezes", diz Amorim. "Um dos actores desse filme do Clint - Tsuyoshi Ihara - é a estrela do meu. Além disso, também usei a mesma tradutora e o mesmo produtor de elenco que ele", afirma o realizador brasileiro, que, em Corações Sujos, contará a história de imigrantes japoneses que acreditavam que o Japão tinha vencido a 2ª Guerra Mundial.

1 comentário:

floribundus disse...

não tirou foto com o zé sapatilhas
imperdoável!