quarta-feira, abril 14, 2010

COMICHÃO


> Faz muita comichão perto da visão porque não se vêem 11 mil crimes. Como é possível que o vice-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT), Paulo Pereira de Almeida, tenha assinalado uma falha de mais de 11 mil crimes no Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2009?
Este responsável falava no âmbito de um Think Tank, promovido ontem pelo OSCOT, para analisar o RASI e pediu mais rigor nos números oficiais, por uma questão de "integridade estatística".
Em causa está, de acordo com Paulo Pereira de Almeida, a discrepância entre os números que foram recentemente apresentados pelo ministro da Administração Interna, Rui Pereira, e pelo secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, e os dados da Direcção-Geral da Política de Justiça (DGPJ), que contabiliza também a criminalidade participada.
Segundo o RASI houve 416 058 crimes participados em 2009, mas, de acordo com a DGPJ este número atingiu os 427 679 crimes. "Em matéria de integridade estatística seria desejável alguma coerência", sublinhou este professor universitário de segurança interna.

Disparidades vergonhosas.

3 comentários:

Ivo Almeida disse...

Ora, peço eu desculpa alguma ousadia pela liberdade de o fazer; porém justificando-me, que gosto muito de ter por perto material de interesse e qualidade como o «Pau Para Toda A Obra». Parabéns pelo blogue.

joãoeduardoseverino disse...

Obrigado caro Ivo. É uma grande satisfação para mim constatar que um blogue de um cota tem leitores jovens.
Abraço

a.marques disse...

JES não deve preocupar-se com o BI. Nós sabemos que ele sabe.