quinta-feira, março 11, 2010

VEM AÍ A F1


> O "rei" Michael Schumacher, aos 41 anos, será a atracção máxima do próximo campeonato do mundo de Fórmula 1. Sinceramente, sinto saudades da presença no paddock e de toda a adrenalina que se sente entre os pilotos em qualquer circuito pertencente ao "circo".
Uma nova temporada vai ter início este fim-de-semana no Bahrein e pensamos que as equipas favoritas são a Ferrari com Fernando Alonso e Felipe Massa, a Red Bull com Sebastian Vettel e Mark Webber, a McLaren com Jenson Button e Lewis Hamilton e a Mercedes com o "barão vermelho" e Nico Rosberg.
A grande novidade para este ano é o fim dos reabastecimentos e a consequente maior dimensão dos depósitos de combustível que irá obrigar a um comportamento inteligente dos pilotos durante as provas. Apesar do final dos reabastecimentos, iremos assistir às paragens emocionantes nas boxes para a rápida mudança de pneus. Esta "lei seca" obrigou as equipas a construirem carros de maiores dimensões, com tanques de combustível capazes de armazenar até 250 litros (até 160 kg) em vez do anterior limite de 80 litros, além de terem de resolver problemas de distribuição de peso, pois cada dez quilos em combustível equivalem a mais cerca de 0,3 segundos por volta.
A alteração impôs um maior cuidado na preservação dos pneus até à paragem obrigatória e visa promover mais tentativas de ultrapassagem, pois os pilotos não deverão contar com os pit stops para subirem na classificação, num ano em que as "borrachas" da frente também foram reduzidas de 270 para 245 milímetros.
Outra novidade é o alargamento da pontuação para os dez melhores classificados, em vez dos oito mais bem posicionados de cada corrida. Em vez de uma distribuição de dez, oito, seis, cinco, quatro três, dois e um ponto, os pilotos passam a lutar por 25, 18, 15, 12, 10, oito, seis, quatro, dois e um ponto, respectivamente do primeiro ao 10º classificado.
De resto, o campeonato vai contar com mais uma equipa (total de 12 e 24 monolugares em pista), alterando o figurino das sessões de qualificação: passam a ser eliminados sete pilotos em vez de cinco em cada uma das duas fases preliminares de qualificação (Q1 e Q2), sendo a pole position discutida por dez na terceira fase (Q3).
Por seu turno, o número de jogos de pneus para piso seco disponíveis para cada piloto vai também diminuir, de 14 para 11 por fim-de-semana de competição, e os que participarem na Q3 têm de partir para a corrida com os mesmos pneus com que alcançaram o registo que lhes deu lugar na grelha de partida.
Resumindo, as mudanças nas regras poderão proporcionar uma corrida mais interessante para o espectador porque ganha grande importância a táctica de corrida e a rapidez de reacção, sendo quase impossível delinear antecipadamente uma estratégia vencedora.

Sem comentários: