sexta-feira, Março 05, 2010

STICADA NA GAJA



> Ana Paula Votorino esteve quase com uns patins calçados oriundos de uma sucata. O sucateiro Manuel Godinho parece não ter poupado esforços para conseguir a demissão da ex-secretária de Estado dos Transportes, nomeadamente junto do então ministro das Obras Públicas, Mário Lino, revela hoje o semanário 'Sol', com base em mais um lote de escutas, onde Armando Vara (sempre ele) continua no centro do furacão.
A eleição de Ana Paula Vitorino como alvo a abater terá sido motivada pelo facto desta se recusar a afastar o presidente do Conselho de Administração da Refer, Luís Pardal, que entretanto dera ordens para que não fossem adjudicados mais concursos às empresas de Godinho. O 'Sol' acrescenta que as diligências para afastar a secretária de Estado começaram em Janeiro do ano passado e prolongaram-se quase até às vésperas das eleições legislativas de Setembro.
Para tentar conseguir os seus intentos, Godinho ter-se-á socorrido de Fernando Lopes Barreira, um empresário da área do PS, também já constituído arguido, e de Armando Vara. Segundo o semanário, a investigação desenvolvida pelo Ministério Público e pela Polícia Judiciária de Aveiro dá conta que, neste processo, Barreira Lopes terá ficado com a incumbência de telefonar a Mário Lino, e Vara de contactar com Sócrates.

Numa das conversas telefónicas interceptadas, Manuel Godinho confessa a Paulo Penedos, advogado e outros dos arguidos: “Estou aflitíssimo”. As adjudicações às suas empresas estavam a diminuir e ele diz a Penedos que vai telefonar a Vara “a ver se ele dá um empurrão aqui, um empurrão acolá”. Um outro quadro da Refer, Carlos Vasconcelos, também constituído arguido, dizia mais ou menos na mesma altura, em Março, que “o Sócrates tem de dar uma ‘sticada’ na gaja” porque isto “está de facto a entrar por um caminho preocupante”. No mesmo mês, Barreira Lopes é apanhado numa conversa com Godinho onde promete interceder junto de Vara: “Eu, no fim-de-semana, vou-lhe telefonar e dizer ao gajo ‘oh pá, o senhor Godinho tem de ser priorizado, não pode andar a sofrer aqui eternamente’. Tanto o Jorge como ele: eu vou falar com os dois”.

Armando Vara também é apanhado em conversas telefónicas com Godinho. Numa delas, datada de Maio, acrescenta o 'Sol', citando a investigação do MP, poderá ter combinado o pagamento de ‘luvas' ao então vice-presidente do banco BCP. Godinho, Vara e Lopes Barreira almoçaram juntos pouco depois, na casa do empresário. Mas as eleições estão a aproximar-se. Godinho confessa a Carlos Vasconcelos: “Eu não me acredito que haja mudanças agora”. No final de Julho, Godinho diz a Lopes Barreira: “O Lino ligou-me ontem e eu disse-lhe: a culpa é tua porque tu és o chefe e não tens coragem para a pôr na ordem. Mas agora também isto está a acabar ó senhor doutor. Até aí para os nossos amigos não vai acabar bem”. Por volta dessa altura. O empresário também confessará: “Eu estou lixado com isto, sinceramente estou mesmo desiludido com muita gente”.

Pudera... mamavam e não cumpriam.

Sem comentários: