domingo, março 21, 2010

SINCERAMENTE

> Sinceramente custa-me a entender o pensamento e a atitude do primeiro-ministro José Sócrates. Quer ou não governar? É ou não democrata? É ou não socialista? Defende ou não os portugueses mais desprotegidos? Quer ou não uma estabilidade política com o Presidente da República? Tem ou não um candidato presidencial que não é Manual Alegre?
Abstraindo-me neste momento de pensar que não gosto de José Sócrates, gostaria de acreditar que o povo português merece uma situação melhor daquela que vive actualmente. E para isso, a única tábua de salvação seria uma esperada mudança no modo de governar. Contudo, o primeiro-ministro vai palestrar aos seus apaniguados e manda um recado reptício ao Presidente Cavaco Silva. Continua a discursar e ouve-se tomar posição contra Manuel Alegre, quando seria de bom senso que o PS apoiasse este histórico nas presidenciais (disseram-me que Sócrates se prepara para dar liberdade de voto aos socialistas, uma atitude caricata). Defende um PEC que traduz a desgraça para milhões de portugueses e ainda se dá ao gabarito de afrontar o PSD e o BE. Com que intenção? Sair de cena ou obrigar a eleições antecipadas? Provocar uma revolta social ou credibilizar o Estado português?
Muito pouca gente saberá o que pretende José Sócrates e sendo assim, felicito-me por não ser burrice minha.

1 comentário:

a.marques disse...

Salazar está explicado.