sábado, março 27, 2010

PAULO PORTAS PASSA A GRANDE LÍDER

> As divisões, ódios e facções no PSD são reais. Por muito que o novo líder Passos Coelho apele à unidade pode ficar certo que não irá contar com a participação de quantos não o desejavam nem pintado de dourado. O PSD voltará a ser um partido idêntico ao liderado por Luís Filipe Menezes ou Marques Mendes. Um partido de facção onde os grupelhos mendistas, ferreiristas, marcelistas, barrosistas, rangelistas e jardinistas não vão querer nem ouvir falar dos coelhistas. Ainda esta manhã, já falei com quatro destacados "laranjas" que por "unanimidade" me disseram: "este já não é o meu partido".
E quem é o grande vencedor de tanta bebedeira política? Obviamente, Paulo Portas. O líder do CDS/PP poderá vir a reunir simpatias de vários quadrantes da direita do PSD, algumas delas de grande importância financeira (leia-se empresarial) e académica (professores catedráticos com influencia na juventude). Paulo Portas poderá vir a ser o grande líder da direita desde que saiba construir uma ruptura com os coelhistas demonstrando que o seu CDS poderá caminhar sozinho na conquista de outros eleitores que jamais pensaram em aderir ao CDS.
Portas é populista? O povo gosta disso.
Portas é conservador? O povo é mais do que ele.
Portas é demagogo? O povo adora a demagogia.
Portas é cristão? O povo só quer é ver o Papa.
Portas é cavaquista? O povo quer Cavaco.
Portas é culto? O povo respeita aqueles que sabem falar.
Portas quer ser primeiro-ministro? Se o povo escolheu um dia José Sócrates, qual é o mal em eleger um político educado e bem formado que até convive perfeitamente com um irmão da extrema esquerda...

PAU COMMENTS

Carmindo Mascarenhas Bordalo disse...

O grande vencedor das eleições internas do PSD foi, efectivamente, Paulo Portas...
O Bloco Central que se avizinha ameaça repetir o que em 1984 as sondagens previam: o PSD de Mota Pinto, sob a pata do PS, descia a pique em benefício do CDS (liderado pelo também malogrado Francisco Lucas Pires).
Nas últimas eleições legislativas, Paulo Portas já conseguiu o melhor resultado em 24 anos, mercê de uma liderança fraca e domesticada por Cavaco Silva. Tem todas as condições para continuar um caminho ascendente.
Paulo Rangel é um docente universitário respeitado, um homem de sólida preparação intelectual, tem ideias fundamentais para o futuro do País (por exemplo, ao nível do ensino técnico, que urge ressuscitar) e não quer um PSD em águas mornas com o PS.
Passos Coelho viveu sempre da política, está dependente profissionalmente de uma empresa do regime que funciona em regime de bloco central (a FOMENTINVEST) e ora defende o liberalismo puro e duro, ora apela ao apaziguamento com Sócrates.
O PSD escolheu e Portas pode sorrir com o tiro no pé.
Outro vencedor indesmentível é Ângelo Correia, mas por motivos diferentes. Nem tudo o que luz é ouro, mas muita coisa é.

2 comentários:

Carmindo Mascarenhas Bordalo disse...

O grande vencedor das eleições internas do PSD foi, efectivamente, Paulo Portas...
O Bloco Central que se avizinha ameaça repetir o que em 1984 as sondagens previam: o PSD de Mota Pinto, sob a pata do PS, descia a pique em benefício do CDS (liderado pelo também malogrado Francisco Lucas Pires).
Nas últimas eleições legislativas, Paulo Portas já conseguiu o melhor resultado em 24 anos, mercê de uma liderança fraca e domesticada por Cavaco Silva. Tem todas as condições para continuar um caminho ascendente.
Paulo Rangel é um docente universitário respeitado, um homem de sólida preparação intelectual, tem ideias fundamentais para o futuro do País (por exemplo, ao nível do ensino técnico, que urge ressuscitar)e não quer um PSD em águas mornas com o PS.
Passos Coelho viveu sempre da política, está dependente profissionalmente de uma empresa do regime que funciona em regime de bloco dentral (a FOMENTINVEST) e ora defende o liberalismo puro e duro, ora apela ao apaziguamento com Sócrates.
O PSD escolheu e Portas pode sorrir com o tiro no pé.
Outro vencedor indesmentível é Ângelo Correia, mas por motivos diferentes. Nem tudo o que luz é ouro, mas muita coisa é.

a.marques disse...

Antes Paulo Portas que é tal como parece, que Sócrates que parece tal como é!