terça-feira, março 23, 2010

MISÉRIA DE EMPREGOS

> Uma jovem licenciada em Direito respondeu a um anúncio para um emprego numa seguradora. O anúncio exigia licenciatura. A jovem foi à entrevista e a empresa gostou muito das suas aptidões e da sua maneira de reagir às diversas questões que lhe colocaram.
No momento dos "finalmentes" a licenciada receberia €575 depois dos descontos e o trabalho limitava-se apenas a introduzir dados num computador sobre os acidentes de viação que atingiam os segurados.
A jovem, obviamente, rejeitou. O salário seria pago por uma agência de trabalho temporário que receberia da seguradora €420 correspondente à contratação da jovem licenciada em Direito.
É esta a modernidade, progresso e futuro risonho que José Sócrates anunciou para os jovens...

7 comentários:

sator disse...

nunca houve tanto trabalho escravo

«a miséria não tem lei»

Sílvia disse...

é mesmo, João... é um cenário desolador!

joãoeduardoseverino disse...

É mesmo, Sator... é um cenário desolador (parafraseando a Sílvia)

Olá, Sílvia. Isto só se resolvia à metralha nos que gozam connosco.
Ouvi dizer que o Metro em Lisboa anda a avariar muito e que as meninas lindas têm de andar a pé mesmo com saltos altos... eheheh:)

Sílvia disse...

ehehehehehe sim, desde o Martim Moniz até á Alameda a pé! Assim não se engorda! ;D Mas, de facto, uma pessoa compra o passe e depois dá nisto... o serviço não nos é prestado! Impressionante! (obrigada... ) :)

joãoeduardoseverino disse...

Como é que eu sou bruxo?... :)

Sílvia disse...

João, cabe mencionar em relação ao post, o tipo de contrato de trabalho que as ditas agências de trab temporário oferecem: mensal... ou seja, a sensação que uma pessoa tem no fim de cada mês é "será que vou ser desempregado no próximo?! será que vão renovar o contrato por +1 mês?!... chama-se a isto "estabilidade"? Qual a motivação que um trabalhador tem quando acorda todos os dias de manhã? Enfim, mais umas questões surgiriam... é o país que temos!

Guimaraes disse...

O Estado também faz dessas. Ainda há pouco tempo se viam anúncios a pedir enfermeiros e médicos para contratos a 3 meses. Quando conhecem o hospital, saem...
Aos que vendiam trabalho de outros não se chamava negreiros?