terça-feira, março 30, 2010

DESALENTO


> Habituei-me a ver na televisão o juiz desembargador Eurico Reis a ser um dos poucos "comentadores" que sabe o que diz. Uma personalidade vincadamente séria nas abordagens dos temas relacionados com a justiça e, em particular, com os tribunais. Com desenvoltura, espírito crítico e sentido de justiça e de solidariedade, o juiz Eurico Reis provocou-me o maior desalento quando o vi a presidir a uma comissão sobre as indemnizações a conceder aos doentes que cegaram no hospital de Santa Maria, Lisboa.
Uma comissão quase absurda nas suas decisões injustas. Não há dinheiro que pague o mal que foi feito, mas admitindo que é de toda a justiça minorar o sofrimento dos atingidos, teríamos que ser nobres e grandiosos a devolver um pouco de ânimo às pessoas que foram profundamente prejudicadas por negligência hospitalar. Trinta, quarenta, cem, duzentos mil euros não é nada. É uma esmola miserável. Menos de meio milhão de euros a cada um dos doentes não resolve nada para a contribuição de uma vida melhor em condições mínimas de estabilidade.
Não esperava ver o douto juiz Eurico Reis misturado com palhaçadas políticas que só sabem anunciar não terem dinheiro para nada, a não ser para gastos supérfluos, incluindo com as amantes dos ministros...

1 comentário:

floribundus disse...

no meu tempo de coimbra os caloiros sentados num penico eram julgados pelo "meretríssimo" juiz.
a má-gistratura está nessa onda