sexta-feira, março 05, 2010

20 ANOS COM O PÚBLICO


> O diário 'Público' festeja hoje 20 anos. Duas décadas de bom jornalismo com muita vicissitude pelo meio. Um jornal que tanto alegra como entristece os seus leitores. Quando mostra imparcialidade provoca alegria, quando despede trabalhadores alegando poupança nos custos leva muita gente a deixar de o comprar. Ultimamente provocou polémica e afastou o director José Manuel Fernandes para o trocar por uma ex-assessora da vergonhosa ONU, e por essa razão não envio os parabéns à directora. O jornal assim dirigido não me merece credibilidade e cá tenho as minhas razões.
A edição de hoje do 'Público' foi dirigida por António Barreto e é pena que o sociólogo não tenha carteira profissional de jornalista. Na primeira página lemos que uma sondagem revela que o primeiro-ministro mentiu no Parlamento quando disse que não sabia que a Portugal Telecom queria comprar a TVI e essa mentira é injustificável. É esta a convicção da maioria dos portugueses, de acordo com uma sondagem da Intercampus.
Mas nem essa "mentira" nem a alegada ligação de José Sócrates a escândalos recentes lhe retiram condições para governar. Aliás, se as eleições fossem hoje, o PS voltava a ganhar e reforçava mesmo a sua votação, ficando à beira da maioria absoluta. Um paradoxo com diferentes explicações, na análise dos politólogos, sendo a principal de que os portugueses já se habituaram a viver com políticos mentirosos.

Sem comentários: