quinta-feira, fevereiro 18, 2010

QUE IDEIA, SENHOR PROCURADOR

> O procurador-geral da República Pinto Monteiro diz que tentar controlar imprensa e TVI não é crime.
Só para rir, porque a chorar já andamos há muito tempo...

4 comentários:

Koisas disse...

Caro João,

Rir porquê?

Realmente a tentativa do Governo de alterar ou influenciar ou controlar a linha editorial de jornais ou canais de TV não constitui por si só nenhum comportamento punível no plano criminal.

Foi só isso que o Procurador disse e realmente não é mais do que a pura verdade.

Pode ser altamente reprovável, condenável, um atentado à liberdade de imprensa, o que quiser. E a única maneira de punir tal comportamento é nas urnas.

Agora crime, no actual enquadramento jurídico português, isso não é de certeza.

E aliás nem podia ser de outra maneira, porque tanto a imprensa escrita como a TVI são empresas privadas, regidas pelo direito privado, e portanto têm a liberdade de definir a sua linha editorial e deixarem influenciarem-se como bem entenderem.

Tal como as pessoas também têm a liberdade de comprar esses jornais e assistir a esses canais de TV, ou simplesmente escolher outros.

Não concorda?

Pedro M.

a.marques disse...

Sublinhem-se citações: "PGR alega que tentar controlar imprensa e TVI não é crime". "Pinto Monteiro não encontrou provas do plano de Sócrates para interferir na comunicação social". O PGR permite-se produzir alegações sobre provas que não encontrou? E rejeita considerar crimes sustentando-se em suspeitas não confirmadas? Ao fazê-lo mergulha desesperadamente em contradições fatais. Ousa transportar ilegitima e atabalhoadamente matérias que mesmo apelidadas de fantasmas, não deixam de pertencer ao reduto próprio da justiça e da sua exclusiva competência. Despropositada e impunemente dá-se ao luxo de remeter para o palco da luta puramente política, não dispensando falsificado carimbo institucional, sobre o que diz não saber, não identificar e não reconhecer. Contraria grosseiramente o que proclama, jura cumprir e devia ser o primeiro a respeitar: Á justiça o que é da justiça, á política o que é da política.

manuel gouveia disse...

Porque não se cala? O homem desprestigia o seu cargo cada vez que abre a boca e isso não é nada bom para Sócrates!

Anónimo disse...

Se fosse crime, todos os primeiros ministros desde o tempo do Mário Soares já estavam presos.