sexta-feira, fevereiro 26, 2010

PRÉMIOS

> O líder democrata cristão, Paulo Portas, propôs que não sejam pagos prémios a gestores e a redução dos conselhos de administração de empresas públicas, medidas «de rigor e contenção» que o CDS pretende incluir no Orçamento do Estad.
«É impensável que, num ano de contenção e em tempo de dificuldades, o Estado se prepare para dar às empresas públicas mais 1135 milhões de euros, entre empréstimos, aumento de capitais e subsídios», destacou o presidente do CDS, Paulo Portas, à margem de um encontro da comissão política nacional, que se reuniu em Lisboa.

Sem comentários: