sábado, fevereiro 06, 2010

MAU, MAU

> A crise agrava-se no país. Os partidos políticos não se entendem. O Governo aparenta não querer governar. Uma conspiração tentou deitar abaixo o Presidente da República. A tentativa de coartar a liberdade de informação e de controlar órgãos de comunicação social deixou perplexos os defensores da liberdade.
Entretanto, existe a possibilidade de o povo português poder decidir-se por uma revolta social. Neste sentido, vários grupos de militares estiveram reunidos esta semana. Capitão, tenente-coronel, capitão-de-fragata e general foram algumas das patentes do Exército, Força Aérea e Marinha que se reuniram para debater a situação do país.
Uma das nossas fontes adiantou que "a situação está muito grave e se for preciso não deixar cair o país na anarquia e na golpada política nós tomaremos uma posição de força colocando o Presidente Cavaco Silva ao nosso lado", disse.

5 comentários:

Carlos Dias Ferreira disse...

João:

Portugal neste momento já não precisa de palavras e promessas o que precisamos é de alguém que de uma vez por todas mande esta "cambada" socrática para bem longe e se tivermos de fazer um golpe de estado que seja.

a.marques disse...

Já vamos aí?!. É preciso ver se o direito á indignação de Mário Soares continua válido.

Luís Nascimento disse...

Isto é uma brincadeira, ou está mesmo a falar a sério??

joão eduardo disse...

Caro Luís Nascimento

Muito a sério. Posso dizer-lhe que tive receio de publicar o que me foi transmitido por amigos militares no activo e na reserva que participaram nas reuniãos. Alguns dos militares queriam tomar já uma posição drástica e só lhe posso dizer que seria muito pior que o acontecido no 25Abril de 1974.

joão eduardo disse...

Errata

... nas reuniões.