quinta-feira, fevereiro 25, 2010

MADEIRA: A INCRÍVEL CONFUSÃO DO NÚMERO DE MORTOS

> Alberto João Jardim não quis que os turistas fugissem. E por isso, não quis dizer a verdade sobre o número de mortos. A disparidade está a chegar ao disparate. Interesses económicos levou o chefe do executivo da Madeira a não decretar o estado de calamidade. No entanto, andar a jogar com o número de mortos é inadmissível.
Um jornalista em serviço na Madeira disse-me que uma cidadã foi chamada ao local que fica por baixo da pista do aeroporto, onde se encontram os cadáveres da catástrofe, a fim de reconhecer um dos seus familiares e que lhe transmitiu ter visto várias dezenas de vítimas. A senhora acrescentou estar convencida que o número de mortos ultrapassará as seis dezenas.
Ao fim da manhã de hoje, foi divulgado mais uma disparidade quase a alcançar o disparate. A porta-voz do Governo Regional anunciou que o número de desaparecidos passou de 16 para 29, citando informações do Ministério Público. "À medida que as pessoas vão tendo capacidade de comunicação", as autoridades têm tido novos dados e agora o Ministério Público será a entidade que irá ser responsável pela divulgação de números, disse a porta-voz.
A estimativa de 42 mortos mantém-se, mas o Governo Regional prefere citar somente o número de 39 corpos que deram entrada no necrotério, somando-se ainda 18 feridos ainda internados.

Sem comentários: