domingo, fevereiro 07, 2010

FALAI DO MAU, APARELHAI O PAU (6)

> Os pudores do engenheiro Sócrates

Sócrates diz "só me faltava" (comentar a divulgação de escutas de conversas privadas) como se lhe estivessem a pedir um gesto de educação menos primorosa. Mas a evidência, a fotografia da evidência, da forma como Sócrates se serve do poder e do país não revela estes pudores. Vêmo-lo em sandálias havaianas e camisolas de alças pelos corredores dos ministérios e das empresas de capital público, a coçar os sovacos, a fazer apostas sobre o tempo que levará a derrubar este, o custo de comprar aquele, a necessidade de controlar o outro. Ouvimo-lo em concursos de arrotos, a empurrar os amigos e aos risinhos como num balneário de adolescentes depois de mais uma conquista, de preferência na comunicação social. Já vimos demais. Não lhe estamos a pedir, engenheiro, que coma com os cotovelos em cima da mesa; estamos à espera que explique o canibalismo do menu.


Cristina Ferreira de Almeida, in Delito de Opinião

2 comentários:

a.marques disse...

E vamos esperar que o troglodita pare ou se explique?

Anónimo disse...

Vamos todos emigrar de TGV.