terça-feira, fevereiro 16, 2010

CRESPO ENGANADO

> "O que aconteceu no [jornal] Sol não é nada normal. O que aconteceu à minha crónica não é nada normal. O que aconteceu na TVI não é nada normal. O que aconteceu no Público não é normal. É preciso interpelar isto de frente, sem medos, porque não há que ter medos", afirmou Mário Crespo à Lusa.

Mário Crespo está completamente enganado. O que refere, é normal... há muitos anos que é normal.

98% dos jornalistas têm medos de perder o emprego. Por isso, é que tem sido normal em democracia, desde 1975, o saneamento de jornalistas que escrevem o que não agrada ao poder instituído.

8 comentários:

a.marques disse...

Mário Crespo pode estar enganado e a mostrar-se narcisicamente obsecado. Para ser não precisa
de ostentar tanto querer parecer.

Anónimo disse...

Caro João Severino, eu não sou nem nunca fui jornalista. Mas há uma coisa que sinceramente não entendo na imprensa e blogoesfera portuguesa. Talvez me possa esclarecer.

Porque raio é que os jornalistas/comentadores têm sempre de ser ou contra o Governo ou a favor do Governo?

Porque é que têm de estar sempre conotados com este ou aquele partido?

Porque razão é que não podem descrever os factos, comentar os discursos, analisar as políticas e debater as estratégias do país de forma independente, imparcial e justa?

Não me leve a mal, mas às vezes penso que este blog sofre exactamente do mesmo problema.

Eu por exemplo também não gosto muito do Sócrates, mas confesso que às vezes já passa dos limites a forma como atacam o homem.

Não interessa se algumas medidas que ele toma estão certas ou não, não interessa o que ele diz, faz, comenta, anuncia. Para alguns, há de ser sempre um incompetente, corrupto, mentiroso, etc etc...

E assim é impossivel fazer jornalismo sério.

Porque não podem haver mais comentadores como o Marcelo?? Ele pode ser do PSD, mas ao menos é intelectualmente justo, sabe criticar onde são merecidas críticas, mas também elogiar onde se faz bem.

Esta mania do "bota a baixo" tornou-se já um desporto nacional logo a seguir ao futebol, que infelizmente apenas ajuda a agudizar ainda mais a falta de confiança dos portugueses, já de si de rastos.

Espero que não me leve a mal este desabafo...

Cumprimentos
Eugénia Marcelino

joão eduardo disse...

Cara Eugénia Marcelino

Naturalmente que não tenho nada que levar a mal, antes pelo contrário, é uma satisfação que a senhora faça parte dos ilustres visitantes do meu blogue.
O seu comentário é pertinente e comungo das suas ideias. Com uma explicação que talvez a possa mudar de pensamento relativamente à minha pessoa e a este blogue.
Eu não estou a a realizar jornalismo neste blogue. Infelizmente estou desempregado. Jornalismo é algo de muito sério que em nada tem a ver com a distracção e o divertimento que possa um blogue proporcionar ao seu autor. Este blogue não é um jornal, revista, estação de rádio ou de televisão, onde o jornalista deva ser tudo o que diz e salienta.
Eu sempre procurei ser imparcial ao longo da minha carreira.
E mesmo aqui no blogue se a Eugénia tivesse tido tempo de analisar os postais publicados em pouco mais de dois anos, verificaria que tenho criticado os mais diferentes quadrantes e personalidades da política. Este é um blogue anarca, um pouco à semelhança do seu autor.
O engenheiro José Sócrates não me desgosta em nada. Inclusivamente acho-o um português normal, excepto aquela de cumprimentar as senhoras com o casaco desabotoado...
O engenheiro José Sócrates nunca foi aqui criticado enquanto pessoa, mas sim como político. Como primeiro-ministro o caso já é diferente. Trata-se de um político que tem vilipendiado os seus compatriotas com mentiras, promessas vãs e políticas enganosas. E isso, eu critico.
Não se esqueça, Eugénia, que os jornalistas quando se manifestam contra os governos, estão simplesmente a servirem de intermediários da voz popular. Dos lamentos e queixas que o povinho lhes apresentam e lhes pedem para divulgar. E é essa transmissão de informação em nome dos seus semelhantes que faz a senhora interpretar como algo que apenas serve para dizer mal do governo. E, por isso, está enganada.

Ainda no que concerne a este blogue, repare que até poderia chamar-se "Anti-Sócrates" e apenas publicar postais a maldizer o senhor e as suas políticas. Não, não é esse o objectivo. E de tal maneira puxo a brasa à minha sardinha, que dir-lhe-ei que a senhora nem sequer reparou que este blogue foi o primeiro e dos poucos que atacou imediatamente o eurodeputado Paulo Rangel quando este se pronunciou a despropósito no Parlamento Europeu contra o primeiro-ministro do seu país.
Enfim, minha cara senhora, estou habituado há muitos anos a levar na cabeça justa e injustamente, mas uma coisa é certa, apenas respondo a pessoas educadas como a senhora.
Volte sempre.

S.C. disse...

Uma resposta muito correcta, bem esclarecedora e de notável humildade intelectual, caro João. Infelizmente, sucedem-se, cada vez mais graves, as "trapalhadas" e até suspeitas de actos vergonhosos por parte de José Sócrates, num tempo de grandes dificuldades para a esmagadora maioria dos portugueses. Estranho seria que as pessoas não reagissem a duvidar do carácter e das políticas (ou falta delas) do Primeiro Ministro. E muitas das críticas que aqui se lêem no PPTAO nada têm a ver com partidarismos de direita ou esquerda, apenas o elementar bom senso de gente honrada.

ana buisel disse...

A Eugenia Marcelino deve ter visto outro filme. Se alguém elogia e critica é este blog. Vejo virtude no autor Severino porque já por diversas vezes tem elogiado este e aquela. E dou razão ao autor do blog quando diz que um blog não é um jornal e por isso ele pode fazer o que entendewr. Quem não gosta tem 10 mil blogs para ver. Aqui divirto-me e o resto quero lá saber se é contra o Socrates ou a Ferreira Leite. E as músicas maravilhosas que ele publica também são politica contra o Sócrates?

joão eduardo disse...

Obrigado pelas vossas palavras, S.C. e Ana Buisel.

a.marques disse...

Este "desporto nacional do bota-abaixo no Sócrates" nem sequer é directamente proprocional á brincadeira intitucional com que ele e a sua corte nos brindam desmesuradamente. Por mim confesso que não consigo agarrar inocentemente na velha trapeira para uma boa jogatana de 20 contra 20 no largo do meu bairro sem que por tráz do velho muro surja mais uma vez a cabeça do roberto do costume em palhaçadas provocatórias. Aí não resisto a expontâneo tiro ao boneco. E lá se vai mais uma vez a bola para o quintal do vizinho. Estragou-nos uma vez mais a futebolada. Não dá espaço para recreio.

mariahenriques disse...

de como eu adorei ver o mário crespo a distribuir fotocópias e as descrever-nos de como dormia :
http://bit.ly/dyPczm