sexta-feira, fevereiro 05, 2010

À BEIRA DA VERGONHA

> Esta noite fixei-me na SIC Notícias e gostaria de vos transmitir alguns registos. António José Seguro esteve presente no 'Jornal das 9' e solidarizou-se com Mário Crespo tecendo-lhe os mais rasgados elogios, uma posição totalmente oposta à de José Sócrates.

Eduardo Dâmaso, director-adjunto do 'Correio da Manhã' foi convidado do noticiário das 22 e mostrou-se profundamente indignado com os factos divulgados hoje pelo 'Sol'. O jornalista não compreende como é possível que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça e o procurador-geral da República tenham arquivado matéria que deveria ter sido, no mínimo, investigada. Não compreende ele, nem ninguém.

No programa 'Expresso da Meia-Noite' voltei a ver uma amiga de longa data e que é uma das jornalistas com mais histórias para contar e que, felizmente, está a reuni-las num livro. Maria João Avillez disse uma grande verdade quando Nicolau Santos salientou, a propósito da situação política grave que se vive no país, que a Maria João já tinha assistido várias vezes a situações semelhantes como esta "à beira do abismo". Avillez respondeu, de semblante carregado, "Mas é a primeira vez que estou à beira da vergonha", referindo-se ao que veio a público sobre o caso 'Face Oculta'.

Sobre o caso TVI: Não acredito que José Eduardo Moniz não estivesse a par de tudo o que se estava a passar sobre a compra de 30% da Media Capital pela PT, com a sua saída negociada.

4 comentários:

a.marques disse...

Independentemente do tratamento (ou falta dele) do assunto "vergonha exposta ao sol" no plano judicial, eu cidadão pilha-galinhas exijo consequências no plano político para tão humilhante escândalo. No mínimo quero vêr Sócrates a dizer-nos se isto é verdade. Não admito desculpas para essa omissão. Que se despache.

Karocha disse...

Pois JES ela disse mesmo "VERGONHA"
O PR devia demitir o governo, mas como pode com o genro envolvido e a SLN?!!!

a.marques disse...

Por cada minuto que passa não é ele que não tem vergonha, somos nós que ajoelhamos. Com o agradecimento pelo acolhimento demonstrado, venho comunicar que se/ou enquanto não forem extraídos esclarecimentos e conclusões da repugnante tramóia, suspendo a minha condição de cidadão com participação civica. Obrigado. a.marques

joão eduardo disse...

Caro A. Marques

Não tem nada que agradecer. Sempre gostei de valorizar o que tem interesse e inteligência.

Parabéns pela suspensão cívica. A este propósito, posso dizer-lhe que não voto desde 1976. Foi quando verifiquei que tinham chegado à governação outros aldrabões...

Abraço