segunda-feira, fevereiro 22, 2010

ADVOGADO DE DEFESA

> Esta noite, pensei que seria uma boa opção em assistir ao novo programa de Miguel Sousa Tavares, na SIC. Debalde. Com um microfone sem qualidade na lapela do entrevistador, não consegui perceber metade das perguntas e, por outro lado, pensei que o convidado [primeiro-ministro deste país] aceitasse ser entrevistado para nos falar dos problemas graves que afectam os portugueses. Ouve-se João Duque, Silva Lopes e Medica Carreira e ficamos preocupadíssimos com o futuro desta terra. Vem José Sócrates e a sua preocupação é falar da PT, da TVI, do jornal da Moura Guedes, dos que inventam coisas a seu respeito, da Taguspark, do Figo, das mentiras que não disse e, para cúmulo desta intervenção televisiva execrável, fomos contemplados com José Sócrates na qualidade de advogado de defesa do tal menino Rui Pedro Soares que andou por aí a produzir tanta parvoíce que até se demitiu de administrador da PT. Um indivíduo sem qualquer currículo para receber 2,5 milhões de euros por ano, mais as alcavalas, foi defendido até à exaustão (pudera!) por José Sócrates, ao ponto ridículo de se virar para Sousa Tavares e corrigi-lo dizendo que "você nem sabe que ele já era director na PT". Ai, era? E colocado lá por quem?...
O primeiro-ministro perdeu uma boa oportunidade para ficar no gabinete a trabalhar ou numa boa jantarada no Tivoli. O Miguel Sousa Tavares perdeu a oportunidade de ter começado bem o seu novo programa por não ter convidado alguém que pudesse animar os seus espectadores trazendo à ribalta algo de novo.
Os pinóquios estão fora de moda.

6 comentários:

a.marques disse...

Aquilo não é estratégia é pilhéria. Ele não transpõe obstáculos passa por baixo. Ele não se refugía mascara-se. Ele não esclarece baralha, Ele não se indigna vocifera, Ele não se contradiz remenda. Ele não tem amigos só marionetes (descomandadas diz ele), Ele não confronta ilude, Ele não caminha gatinha. Ele não mergulha afunda-se. Isto não é uma corrida de fundo é um jogo de latas barulhentas de recreio presas por nós de cordéis que não desatam. E não se lhe corta a guita?

manuel gouveia disse...

Mas João, Sócrates falou do essencial: deste país em desalmado saque...

Isabel Magalhães disse...

AH! Bom! Então não fui só eu que não percebi mais de metade do que dizia o Miguel Sousa Tavares.

Quanto ao convidado... eu não estava à espera que ele dissesse mais do que disse.

João António disse...

O entrevistador e o entrevistado estão bem um para o outro !
Abraço

joshua disse...

Brilhante post, João. Brilhante comentário a a.marques.

joão eduardo disse...

Obrigado, Joshua. Abraço