sexta-feira, janeiro 29, 2010

XIMENES BELO FORA DE TIMOR

> Há pouco, telefonaram-me a dizer que tinham visto uma fotografia no 'DN' do ex-bispo de Díli, Ximenes Belo, a abençoar a nova delegação do Turismo do Porto e Norte, em Santiago de Compostela, na companhia de Rui Rio, presidente da Câmara do Porto e de Bernardo Trindade, secretário de Estado do Turismo. E perguntaram-me o que anda este timorense a fazer nestas cerimónias e se não achava que o lugar do bispo era em Timor-Leste "junto do seu rebanho".
Respondi que não achava nada. Limitei-me a esclarecer que a saída abrupta de Ximenes Belo de Timor-Leste ainda hoje [para alguns] está envolta em mistério. Contudo, aconselhei o meu interlocutor a perguntar aos dirigentes da FRETILIN por que razão o bispo foi "corrido"...

5 comentários:

Jose Martins disse...

Tentações demoníacas!
Os santos também pecam.
A carne é fraca!
Eu sei que sabes como eu...
Mas cala-te tu que me calo eu.
Abraço

José António Cabrita disse...

Mas, calar porquê?!

Com um abraço, do
José António Cabrita

a.marques disse...

E o "desaparecimento" do comandante Reinado ficou bem explicado?

Anónimo disse...

Sim, sim, perguntem à Fretilin sobre os dois "casos".

Todos gostávamos de ver isso tudo esclarecido!

Por Timor, sempre
HE

Aicurus disse...

Alo Dili

Sim, sim, perguntem à Fretilin sobre os dois "casos".

Nada tem haver com a Fretilin os dois casos.
Para o caso do Alfredo esta abaixo explicado.

Quanto ao caso de Bispo Belo cabe as autoridades da Igreija a dar uma explicacao.
O que eu sei como a explicacao do Jose Martins
Tentações demoníacas!
Os santos também pecam.
A carne é fraca!
Eu sei que sabes como eu...

Xanana-Horta: PORQUE NÃO QUEREM REINADO NO TRIBUNAL (a 4 meses do assassinato)

Reposição

REINADO QUER GUSMÃO E RAMOS HORTA NO BANCO DOS RÉUS

A respeitada publicação Timor Online divulgou, no passado dia 5 deste mês, o trecho que a emissora australiana ABC tinha cortado de uma entrevista feita com o major Alfredo Reinado. Na passagem censurada, ele afirma que somente aceita ser detido e comparecer em tribunal se no banco dos réus estiverem também José Ramos Horta, atual presidente, e José “Xanana” Gusmão, primeiro-ministro do governo ilegal instalado e protegido militarmente pela Austrália. Em 2006, Alfredo Reinado participou ativamente no sangrento golpe de estado desencadeado por José Ramos Horta e José “Xanana” Gusmão contra o governo nacionalista do primeiro-ministro Mari Alkatiri. Naquela altura, Ramos era ministro das relações exteriores de Alkatiri e Gusmão ocupava a presidência da república.
Para mais ver Timor Lorosae nacao em versao Inglesa

Adeus

de Aikurus