sexta-feira, janeiro 08, 2010

ASSÉDIO MORAL

> Cada vez se regista um maior número de casos de assédio moral nas empresas portuguesas. Incluindo as públicas. Nestas, com uma agravante. Quando mudam os governos, mudam os directores e os chefes. É verdade, até os chefes de serviços. O que se está a passar actualmente em várias empresas públicas, incluindo instituições como a Santa Casa da Misericórdia, IASP, IFADAP e INATEL, é absolutamente vergonhoso e ignóbil do ponto de vista mais desumano, prepotente e discriminatório.
O Partido Socialista chegou ao poder em 2005 e os seus ministros apressaram-se em nomear os seus amigos, perdão, as suas mulheres e os seus homens de confiança para os cargos de presidentes de todas as instituições e EP's. Esses presidentes nomearam os seus amigos, perdão, as suas mulheres e os seus homens de confiança para os cargos de directores. Por sua vez, os directores nomearam os seus amigos, perdão, as suas mulheres e os seus homens de confiança para os cargos de chefes.
De chefes? Nem mais, meus caros. Por exemplo, numa muito badalada e "riquíssima" instituição chegou-se já ao descaramento de o novo presidente (militante do PS) de uma das sucursais da instituição ter colocado em funções um novo director seu amigo, perdão, da sua confiança (militante do PS), que por sua vez, chamou o chefe de serviços (militante do PSD) e disse-lhe que o seu lugar era a... prateleira. Para o seu posto foi colocado um amigo, perdão, um fulano (militante do PS) da sua confiança. Calma! Ainda não acabei. O chefe de serviços (o tal militante do PSD com anos de casa) vencia mil e poucos euros. O actual chefe amigo, perdão, homem de confiança, aufere mais de três mil euros... E ao ex-chefe (militante do PSD) tê-lhe feito a vida negra de tal forma que o funcionário está quase na loucura devido ao prolongado e contínuo assédio moral por parte dos seus superiores.

A revolta em todo o país com casos destes é grande. Há quem já limpe as metralhadoras...

2 comentários:

Anónimo disse...

AOS NÃO "SOCIALÍRICOS" , MULHERES E HOMENS, QUE SÃO IMERECREDORES DE CREDIBILIDADE E/OU CONFIANÇA SÓ LHES RESTA UM CAMINHO - SEGUIR O EXEMPLO DE MANUELA MOURA GUEDES E MOSTRAR QUE AINDA TÊM "OS DITOS CUJOS" NEGROS E EM "SU" SÍTIO.

Guimaraes disse...

Basta trocar as siglas dos partidos para retratar o que testemunhei na passagem dos hospitais públicos para S.A. em 2002. Depois, o contrário em 2005. Não interessou se algum dos respeitaveis senhores sabia o mínimo do que ia fazer.
Interessou, isso sim, fazer sentir aos profissionais que não passavam de "servos da gleba".