sexta-feira, janeiro 15, 2010

ARMADA BATE NO FUNDO


> A Armada portuguesa é das instituições mais respeitáveis no país. Os marinheiros sempre estiveram acima de uma fasquia normal de ciência, cultura, diplomacia e brio pátrio. A dignidade da frota secular da Marinha portuguesa tem recebido nos quatros cantos do mundo os maiores encómios. Concretamente, o navio-escola "Sagres" tem percorrido todos os continentes e sempre com as velas altivas e magnânimes de orgulho pela exemplar organização na Armada, a qual ao longos dos anos soube disponibilizar o orçamento indispensável para que o "Sagres" navegasse pelos mares do mundo como o grande embaixador de Portugal.
Lamentável e displicentemente os portugueses acabam de torcer o nariz ao vizualizar os milhares de cartazes espalhados pelo país e os anúncios publicitários na televisão que promovem os Jogos da Santa Casa da Misericórdia [essa máquina obscura de fazer dinheiro à conta da desgraça dos viciados no jogo] mostrando que desta vez o navio-escola "Sagres" só conseguirá realizar a sua viagem de navegação à custa dos dinheiros dos jogos de sorte e azar. A Armada não tinha dinheiro e o Governo não encontrou melhor forma de subsidiar a viagem de um navio militar do que ordenar aos seus agentes da Santa Casa que abrissem os cordões à bolsa. Vergonhoso.

7 comentários:

Leonardo Dias disse...

Em tempos de crise como os nossos, é óbvio que há que fazer sacrifícios. Se tivermos de cancelar viagens da Sagres por falta de orçamento, qual é o mal disso? Não podem ficar adiadas até que as condições melhorem?

Sinceramente às vezes também não compreendo este país.

As pessoas só sabem reinvindicar aumentos dos salários, mais apoios para os desempregados, para os reformados, mais subsídios para tudo e mais alguma coisa, mais para a saúde, mais para as escolas, para os tribunais (e com mais juízes), mais apoios à cultura, mais dinheiro para o desporto, para os transportes, para as forças armadas, para os pesseios da Sagres, para isto e para aquilo.

Depois vêm os empresários e falam em mais investimentos, mais para a investigação, mais para o TGV, mais para o novo aeroporto, mais isto e aquilo para melhorar a competitividade do país.

Tudo isto claro que aumenta ainda mais a despesa pública (já por si incomportável).

E depois quando se fala em aumentar impostos, não!!! claro que todos dizem logo que não!!!

E quando se fala em fazer prioridades, também ninguém está disposto a ceder.

E eu pergunto, como simples cidadão que sabe minimamente fazer contas. Com o actual défice e divida externa do país - que já ultrapassa já os 100% do PIB, com a baixissima produtividade e competitividade da nossa economia, de onde vem o dinheiro para isto tudo???

jes disse...

Caro Leonardo

Concordo consigo. Pergunta onde se poderá ir buscar dinheiro. Tenho apontado caminhos aqui no blogue. Naturalmente que as minhas propostas valem tanto como um caixote de lixo. No entanto, como você teve a consideração de perder o seu tempo a escrever o comentário, acho que é lícito eu também perder o meu.
Já disse que concordo com o aumento de impostos, desde que aqueles que têm maior rendimento anual paguem muito mais que aqueles que usufruem o salário mínimo.
Que o Estado não compre mais qualquer viatura. Dos ministros aos directores-gerais, os carros a utilizar deveriam ser os que foram "caçados" pelo Fisco aos prevaricadores.
Que o subsídio de desemprego deixasse de ser escandaloso, como os casos de mais de 1.000 euros, mas a um subsídio igual ao salário mínimo para todos os desempregados.
Que as viagens oficiais fossem executadas em classe económica e que as deslocações fossem nos carros das embaixadas ou consulados nos países onde existissem.
Que os combustíveis baixassem para os preços justos e lucrativos tais como entre 70 e 80 cêntimos/litro de gasóleo e gasolina, respectivamente.
Que as autarquias e instituições do Estado pagassem aos fornecedores em 30 dias.
Só estas simples medidas provocaria uma grande melhoria na economia global.
Abraço

Anónimo disse...

não concordo de todo com este texto. Há mais de 10 anos que as viagens do Navio escola sagres recorrem a apoio externo. Neste caso trata-se da 3ª viagem de à volta do Mundo e a Santa Casa apoiou o projecto e deu-lhe visibilidade externa, coisa que os anteriores patrocinadores nunca fizeram. O Navio escola Sagres nunca teve viagens canceladas, missões por cumprir por falta de verbas etc...

Cumprimentos
Rodrigo F da Ponte

Carlos Dias Ferreira disse...

Caro Rodrigo Fonte:

Permita-me discordar da sua posição com uma simples pergunta:
- Será que a função social da Santa Casa é patrocinar viagens destas ou coisas similares?
Desculpa João a minha pergunta aqui no blogue mas é algo que pergunto a mim mesmo se é esta a função da Sta Casa Misericórdia de lisboa especialmente em tempos de crise, ou seja pagamos todos os que apostamos nos Jogos Sta Casa.

jes disse...

Carlos
Não tens que pedir desculpa. É um prazer receber comentários teus. Sempre de interesse e certeiros.
Eu acho que é esta a função da Santa Casa: gastar os milhões em campeonatos de futebol, em ralis Dakar, especialmente quendo o trajecto foi entre os Mosteiros dos Jerónimos e o Centro Cultural de Belém..., em Voltas de Bicicleta ao Centro e Norte de Portugal e agora no "Sagres". Foi exactamente para estas actividades que a Santa Casa da Misericórdia foi criada, nunca para construir quantos lares para idosos fossem necessários. lares onde nada faltasse e onde os idosos fossem bem tratados e lares para os quais os familiares dos idosos não andassem a meter cunhas, a pedir de joelhos ou a pagar a alguém por baixo da mesa para poderem conseguir um lugarzinho para o pai, mãe, avô ou avó...

Anónimo disse...

Caro Carlos e João, a indemnização que a Santa Casa recebeu da organização do DAKAR 2008 deve ter chegado para muita coisa... Agora a sério penso que a SC se modernizou ao nivel da comunicação e isso é que hoje mais ressalta. Hoje a SC é um elemento de publicidade presente, na sua vertente dos jogos, foi só isso que eu queria realçar. Quanto à demissão social da sc penso que continua a ser uma entidade que merece toda a credibilidade e em quem as pessoas confiam e que est+a presente quando dela precisam. Ou se calhar não !?

Obrigado pelas perguntas/comentários e pelo dto. de resposta. estarei atento a este blog que me parece muito assertivo.

Cumprimentos Rodrigo F Ponte

Anónimo disse...

O João tem razão. É uma vergonha o que se passa com a falta de lares que a SC já devia ter construído com os milhoes do jogo.