sexta-feira, janeiro 29, 2010

ANGOLA SEM ELE









>
Quando passa, quase sem referência crítica nos media internacionais, o "golpe constitucional" de José Eduardo dos Santos, e seus apoiantes, em Angola é tempo de evocar a memória de Jonas Malheiro Savimbi. Ele não cabia neste quadro estreito de que é feita a política, e os negócios, em Luanda. Por isso o mataram. Claro que Savimbi tinha, também, sangue nas mãos. Tito Chingunji, Wilson dos Santos, Bock, e outros. Mas quem o não tem naquele "reino cadaveroso" ? Lembro Sita Valles, Van Dunen's, Nito Alves e outras vítimas só do 27 de Maio. Savimbi, ao menos, não era comprável. Não recebia comissões. Bateu-se, até ao fim, pelo que julgava melhor para Angola. João Soares

1 comentário:

manuel gouveia disse...

O el-dorado português dispensa os Savimbis... ele não tinha uma filha empresária.